Logo
Morte

Grávida de 7 meses: Mulher e bebê morrem em Castelo do Piauí.

A paciente chegou a ser atendida pela médica que acompanhava sua gravidez e não estava com nenhuma complicação em sua gestação.

03/07/2019 09h21Atualizado há 5 meses
Por: Ronaldo Mota

Maria Antônia Alves de Almeida, 36 anos, residente na Localidade Pedreira, zona rural de Castelo do Piauí, faleceu na manhã desta terça-feira (03) após dar entrada no Hospital Local Nilo Lima.

De acordo com informações do esposo de Maria Antônia, ela estava a três dias se sentindo mal, com dificuldade respiratória e dor de cabeça, porém se recusava a ir ao Hospital. Nesta terça-feira, após insistência do marido, ela decidiu se consultar.

Ao chegar ao hospital, Maria Antônia, grávida de 7 meses, foi atendida imediatamente pela mesma médica do PSF que acompanhava sua gravidez. Após a consulta, ela foi regulada para o Hospital Regional de Campo Maior, no entanto, antes de entrar na ambulância pediu pra ir ao banheiro, local onde começou a passar mal. Ao verificar a situação da paciente, uma equipe médica composta por seis profissionais sendo dois médicos, dois enfermeiros e dois técnicos em enfermagem ficaram cerca de 1h tentando reanimá-la, mas não obtiveram êxito. Maria Antônia e o bebê vieram a óbito.

Informações preliminares dão conta que ela pode ter sido vítima de uma parada cardíaca, aneurisma cerebral ou um eclampse, mas só após o laudo pericial poderá ser confirmada esta informação.

O corpo foi levado para Teresina para realização do exame cadavérico e a constatação da real causa da morte.

Maria Antônia havia se consultado pela última vez na quinta-feira passada (27) e não apresentava nenhum problema na gravidez.

Um perca irreparável à família. Nossos pêsames à família enlutada!

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários