Segunda, 25 de Maio de 2020 02:58
(86) 99911-8355
Geral Geral

Novo hospital de campanha em Teresina terá 60 leitos de UTI

A estrutura está sendo montada em um terreno cedido pelo Grupo Claudino, anexo ao HUT. No local, serão instalados cinco módulos com 12 leitos de UTIs em cada um deles.

07/05/2020 12h18
304
Por: Ronaldo Mota Fonte: Cidade Verde
Novo hospital de campanha em Teresina terá 60 leitos de UTI

Mais 60 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) devem ser construídos nos próximos dias em um hospital de campanha que será montado ao lado do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), na zona Sul da capital. As obras começaram na semana passada e a nova unidade deve atender pacientes com insuficiência respiratória aguda grave em casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. 

A estrutura está sendo montada em um terreno cedido pelo Grupo Claudino, anexo ao HUT. No local, serão instalados cinco módulos com 12 leitos de UTIs em cada um deles. 

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) já contratou uma empresa responsável pela montagem da estrutura física em pré-moldados e alguns equipamentos médicos. A previsão para entrega dos dois primeiros módulos do novo hospital de campanha é de 15 dias. 

A diretoria geral do HUT reuniu todos os setores internos para definir estratégias. “Estamos na fase de levantamento de recursos humanos, alimentação, equipamentos médicos, insumos, enxoval, medicamentos, dentre outras necessidades para se construir um hospital de campanha, que vai funcionar por até seis meses”, explica o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins. 

Mais dois hospitais de campanha estão sendo instalados pelo município, sendo um na quadra de badminton da Universidade Federal do Piauí (UFPI), e outro no Lar da Fraternidade. No hospital na UFPI, batizado de Hospital Padre Pedro Balzi, tem 82 leitos clínicos e dois de estabilização. No ginásio Verdão também foi montado um hospital com 103 leitos, para atender pacientes de baixa complexidade, infectados sendo 94 leitos clínicos e 09 leitos de estabilização, que ajudarão a desafogar a rede hospitalar do Piauí.

Essas estruturas são temporárias e devem ter vagas dos leitos reguladas e disponibilizadas, exclusivamente, para pacientes vindos de outros hospitais e UPAs de Teresina, em ambulância do Samu e classificados como casos de média e alta gravidade decorrentes da Covid-19. O funcionamento é de até seis meses.