Terça, 29 de Setembro de 2020 01:32
(86) 99911-8355
Cidades Cidades

Covid-19: Hospital troca corpos e idoso de Alto Longá é velado na cidade de N.S.Antônio

Corpo foi levado de Teresina para o interior do estado, sepultado e desenterrado após hospital perceber a troca três horas depois.

11/09/2020 16h41 Atualizada há 2 semanas
856
Por: Ronaldo Mota Fonte: Campo Maior em Foco
Covid-19: Hospital troca corpos e idoso de Alto Longá é velado na cidade de N.S.Antônio

O idoso Boa Ventura Pereira da Silva, de 68 anos, que morreu vítima da Covid-19, foi velado e enterrado com o corpo de outra pessoa por seus familiares que tiveram que fazer um segundo enterro após serem informados do caso. A troca de corpos ocorreu  na quinta-feira (10),  no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP), em Teresina. 

A direção do hospital divulgou nota lamentando o ocorrido e pediu desculpas aos familiares. O hospital afirmou ainda que abriu uma sindicância para saber como a troca ocorreu. O paciente Boa Ventura Pereira da Silva faleceu na manhã de quinta, vítima da Covid-19. A família fez reconhecimento e contratou uma funerária da cidade de Alto Longá para ir buscar o corpo.

Na parte da tarde, a funerária foi ao hospital, pegou um corpo com a etiqueta com o nome de Boa Ventura e levou para o sepultamento. Houve um pequeno cortejo em Alto Longá, o corpo não saiu de dentro do carro e seguiu para o enterro. Porém, o corpo era de um homem de 39 anos, que não tinha Covid-19.

O sepultamento aconteceu no cemitério do Povoado Nazaré, localizado no município de Novo Santo Antônio. Três horas após o enterro, o serviço social do hospital comunicou a família que o corpo havia sido trocado.

Os familiares acionaram a funerária para que desenterrasse o corpo do homem de 39 anos, na noite de quinta, voltaram para Teresina, onde fizeram outro reconhecimento e foi feita a troca de corpos. Logo em seguida a família seguiu para o segundo sepultamento.

Confira a nota do hospital na íntegra:

A direção do Instituto Natan Portela lamenta profundamente o episódio e pede desculpas pelo transtorno gerado aos familiares.

A direção esclarece que foi aberta uma sindicância para saber onde o protocolo de identificação de cadáveres foi rompido para esses pacientes.

Tão logo a gestão do incidente seja concluída, as famílias serão chamadas para uma tratativa a fim de terem conhecimento do que realmente aconteceu.

As equipes de assistência social e de psicologia do Instituto estão acompanhando o lamentável episódio e à disposição para prestar todo o apoio aos familiares das vítimas.