Quinta, 27 de Janeiro de 2022
Política SIGEFREDO

Prefeito Murilo Bandeira tenta acordo com professores e alega que prefeitura irá "quebrar"

Ao total, o valor dos precatórios ultrapassam R$4 milhões de reais, onde deverá ser pago para cerca de cerca de 150 professores.

08/07/2021 às 18h56 Atualizada em 08/07/2021 às 19h26
Por: Ronaldo Mota
Compartilhe:
Prefeito Murilo Bandeira tenta acordo com professores e alega que prefeitura irá

O prefeito de Sigefredo Pacheco – PI, Murilo Bandeira, afirmou, durante uma reunião em uma unidade escolar do município, que a prefeitura irá “quebrar“ caso continue pagando o parcelamento de R$90 mil reais de precatórios para os professores da rede municipal de ensino.  

Ainda segundo informações, o gestor visitou as unidades escolares do município para propor aos professores a redução do parcelamento mensal de R$90 mil para R$70 mil reais, o que não foi aceito pelos professores e nem pelo sindicato da categoria.

O presidente do Sindicato dos Professores de Sigefredo Pacheco, Jordânio Pinho, informou que, após consultar a assessoria jurídica, decidiram que o acordo não seria firmado com o poder executivo.

“Consultamos o nosso advogado e ele informou que não iríamos aceitar o acordo proposto pelo prefeito Murilo. Então o parcelamento segue sendo o que a justiça determinar, no qual pode ocorrer uma variação nos valores”, disse o presidente.

Uma professora que trabalha na rede municipal e não quis se identificar com receio de represálias, falou sobre uma reunião realizada pelo prefeito Murilo Bandeira em uma das unidades de educação.

“Ele disse que daqui para o final do ano a prefeitura iria à falência diante do desconto que está tendo dos precatórios na folha do município. Ele disse que daqui uns dias vai ter que escolher se paga a parcela dos precatórios ou o salário dos professores. Ele falou como forma de obrigar aos professores a aceitarem a referida condição imposta por ele, mas nós não vamos aceitar”, disse a professora.

O bloqueio do valor feito pela justiça que, até maio era de R$90 mil, neste mês de junho teve um ajuste para R$130 mil reais mensais.

O pagamento dos precatórios deveria ter sido efetivado desde o ano de 2019, quando o atual prefeito era o secretário de educação do município e nada fez para que o pagamento fosse efetivado.

“O Murilo disse que quando era secretário não tinha autonomia pra nada, quem mandava em tudo era o prefeito Oscar Bandeira, mas, quando ele assumiu a prefeitura em 2021, a primeira coisa que fez foi conceder carta branca para os secretários trabalharem, porém, na prática, ele está querendo agir da mesma forma do Oscar”, concluiu a professora.

Ao total, o valor dos precatórios ultrapassam R$4 milhões de reais, no qual deverá ser pago para cerca de 150 professores.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.