Sábado, 04 de Dezembro de 2021
Polícia URGENTE

Suspeito de esfaquear jovem se apresenta na delegacia; vítima fala sobre o caso

O caso aconteceu no dia 10 de outubro de 2021.

04/11/2021 às 22h04 Atualizada em 04/11/2021 às 22h39
Por: Ronaldo Mota
Compartilhe:
Suspeito de esfaquear jovem se apresenta na delegacia; vítima fala sobre o caso

O homem identificado por João Cumatá, residente na localidade Pedreira, zona rural de Castelo do Piauí, se apresentou na tarde desta quinta-feira (4), na Delegacia de Polícia Civil de Castelo do Piauí.

João chegou acompanhado do seu advogado, prestou depoimento e depois foi liberado, uma vez que não existe mandado de prisão em aberto e nem situação de flagrante.

Ele é suspeito de ter desferido pelo menos 9 facadas contra uma jovem identificada por Camila da Silva, de 29 anos.

SOBRE O CRIME

No dia 16 de outubro de 2021, três pessoas acabaram lesionadas com golpes de faca durante uma confusão na comunidade Pedreira, zona rural.

Entre as vítimas, estava a filha de João, Everlene, e a ex-esposa, Luiza, que ficaram feridas e foram levadas até o Hospital Nilo Lima.

Ao tomar conhecimento da situação, João decidiu ir atrás da agressora, a jovem Camila da Silva, e desferiu 9 golpes de faca contra ela, o atingindo em alguns locais do corpo, sendo na barriga, no pescoço e no braço.

Após o crime, João evadiu-se do local e estava foragido até a data de hoje.

A VÍTIMA

Camila da Silva passou 6 dias internada no Hospital de Urgência de Teresina, onde passou por cirurgia e depois foi liberada pra se recuperar em casa, na capital Teresina.

Em conversa com a nossa equipe de reportagem do Portal Tribuna em Foco, Camila informou que, naquela noite, a filha do João e a ex-esposa foram até a casa dela, na Pedreira, Everlane com uma faca e Luiza com um pedaço de madeira, e partiram pra cima dela.

"Eu, na tentativa de me defender, consegui tomar a faca da Everlene e, em seguida, acabei lesionando ela com um golpe na costela e, mesmo assim, ela continuou tentando me agredir e acabei desferido outro golpe contra ela. Logo depois, a mãe dela, Luiza, veio pra cima e acabei atingindo ela também com apenas um golpe, mas tudo pra tentar me defender, pois a Everlene já havia me ameaçado de morte", disse Camila da Silva.

OUTRO LADO

Entramos em contato com a defesa de João Cumatá, que nos informou que, em breve, se pronunciará sobre o caso. O espaço continua aberto para quando a defesa de João, Everlene e Luiza desejarem se manifestar sobre o ocorrido.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.