Quinta, 27 de Janeiro de 2022
Política DECISÃO

Prefeito Murilo Bandeira quer retirar direito de servidores da saúde; vereadora Naira Alves se posiciona contra a decisão

A justificativa do prefeito é que 58% da população já está imunizada.

29/11/2021 às 11h04 Atualizada em 29/11/2021 às 14h57
Por: Ronaldo Mota
Compartilhe:
Prefeito Murilo Bandeira quer retirar direito de servidores da saúde; vereadora Naira Alves se posiciona contra a decisão

O prefeito de Sigefredo Pacheco, Murilo Bandeira, enviou, para a Câmara Municipal de Vereadores, o projeto de lei n°016/2021 que revoga a lei 067 de 26 de junho de 2020, que Instituiu o pagamento do adicional de insalubridade de 40% aos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente contra a doença Covid-19, ou seja, um acréscimo ao salários dos servidores. 

A justificativa do prefeito é  que 58% da população já está imunizada, restando ainda quase metade da população a receberam a vacinação completa.

A vereadora Naira Alves se manifestou através de suas redes sociais e disse ser contra a revogação da lei. 

"Antecipadamente, manifesto aqui minha posição contrária ao cancelamento da insalubridade dos profissionais de saúde deste município. Uma gestão que respeita seus servidores não impõe um remédio tão amargo em um momento tão delicado. Os profissionais de saúde tem prestado um relevante trabalho ao nosso país, colocando a própria vida em risco, a serviço da manutenção do atendimento à população. Me solidarizo aqui com cada servidor da saúde que poderá ser afetado por essa medida, e de já tranquilizo vocês quanto ao voto desta parlamentar que será contrário a essa proposta do executivo municipal. O momento é delicado, não é tempo de baixar guarda porque a COVID-19 continua ativa e fazendo vítimas no mundo todo", disse a vereadora.

Em outro trecho a vereadora pede o apoio dos demais vereadores.

"Nós parlamentares não podemos concordar com supressão a direitos desses trabalhadores tão importantes e eu, vereadora Naira Alves, antecipadamente, digo NÃO! a esse Projeto de Lei porque considero que não é momento de soltar as mãos desses servidores que mais do que nunca tem sido tão importante para os nossos munícipes", concluiu.

Em Sigefredo Pacheco há um crescimento no número de casos de COVID-19 nos últimos dias, e as medidas adotadas não se mostram efetivas para controlar a pandemia. Enquanto a população espera ação, os servidores de saúde são golpeados com medidas do executivo em nome de um ciclo de vacinação avançado. 

Sigefredo Pacheco, só em 2021, recebeu do Fundo Nacional de Saúde, por meio de emendas de bancadas para investir na Atenção Básica municipal o valor de R$ 1.350.000,00 (Hum milhão e trezentos e cinquenta mil reais).

A votação do referido projeto de lei que prejudica os servidores de saúde será apreciada nesta terça-feira, dia 30 de novembro.

A pergunta é: quais os Vereadores irão ter a mesma atitude da vereadora Naira Alves de ficar a favor dos servidores da saúde? Ou será que irão dizer SIM para mais um projeto do prefeito que prejudica os servidores?

O povo está atento e o portal Tribuna em Foco irá noticiar o resultado final desta votação e quais os vereadores ficarão a favor ou contra o POVO.

Ao invés de conceder um bônus para os servidores da saúde neste fim de ano, esse  é o presente que o prefeito Murilo Bandeira quer dar aos servidores municipais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.