Terça, 17 de Maio de 2022
Polícia MORTE

Mulher mata o próprio marido a facadas em José de Freitas (PI)

O crime aconteceu dentro da residência do casal.

09/05/2022 às 19h13
Por: Ronaldo Mota Fonte: CAMPO MAIOR EM FOCO
Compartilhe:
Mulher mata o próprio marido a facadas em José de Freitas (PI)

Uma mulher identificada como Maria de Jesus da Conceição, de 34 anos, foi presa após matar o próprio companheiro, José Ronaldo Gomes Pinheiro, de 37 anos,  a facadas na madrugada desta segunda-feira (09) no bairro Matadouro na cidade de José de Freitas. O crime aconteceu dentro da residência do casal. 

Em entrevista ao Meionorte.com, o capitão Pedro Moreira, do 16° Batalhão de Polícia Militar do município, explicou que por volta da meia-noite, vizinhos ligaram dizendo que a esposa tinha esfaqueado o marido após uma discussão. Segundo o capitão, os moradores relataram ainda que a situação se deu por conta de ciúmes e por estarem embriagados. 

“Um vizinho relatou que é costumeiro a discussão deles em virtude de ciúmes e parece que ela tinha alguns BO’s registrados contra ele por agressão. Chegando no local, o SAMU já se encontrava e o óbito já havia sido confirmado. Ela assumiu e disse que havia se cansado de sofrer agressões e para se defender, desferiu facadas nele”, relatou o capitão. 

Maria de Jesus foi conduzida para a Central de Flagrantes para os procedimentos cabíveis. Já na manhã de hoje, ela foi solta após uma audiência de custódia diante da ação ter ocorrido em legítima defesa. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e realizou a remoção do corpo de José Ronaldo Gomes. 

O delegado Danilo Barroso, titular da Delegacia de José de Freitas, explicou ainda que o casal vivia em união estável a cerca de 12 anos e tinha uma filha menor de idade, que presenciou o crime. "Foi uma situação de conflito familiar que a vítima teria investido com uma faca e a companheira tomou a faca da vítima e a esfaqueou. Ela foi solta na audiência de custódia que foi feita na cidade de José de Freitas e a gente vai ouvir mais testemunhas para esclarecer os fatos porque pode se tratar de legítima defesa. Mas vamos ouvir mais testemunhas e esperar os laudos periciais para poder concluir. A acusada fez um boletim contra a vítima  no ano de 2017 por questão de violência doméstica. Ela tinha medo de denunciar pelo fato de sempre ele estar ameaçando ela", completou o delegado para a reportagem.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.